quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O Planejamento em 30 segundos

Olá.

Hoje vou apresentar um conceito valioso e poderoso em qualquer administração, o planejamento. Ele é o alicerce, artífice a âncora para o triunfo de qualquer administrador, gerente ou consultor de vendas.

Para fazer um bom planejamento é sempre bom lembrar algumas regras básicas de comunicação como:

Desperte a atenção

Alimente a atenção

Convença-o

Você desperta a atenção com um gancho ( uma frase resumida em 30 segundos do seu planejamento), depois é preciso alimentá-la e convencê-los.

A primeira coisa que um bom advogado faz quando prepara uma comunicação ao júri é construir o caso. Ele sabe que deve atrair a atenção do juiz e do júri, por isso ele inicia a intervenção com um gancho, também sabe que deve acabar com um apelo a favor do seu cliente. Tudo que acontece entre esses dois extremos é o assunto da exposição. O assunto de sua mensagem de 30 segundos deve explicar, reforçar e provar a validade da argumentação que você utiliza. Para que se consiga esse efeito, o assunto deve conter a totalidade ou pelo menos uma parte dessa famosa fórmula: O que, quem, onde, quando, por que e como.

Podemos questionar sem elevar muito nosso raciocínio e perguntar, mas como podemos resumir uma história em 30 segundos? Quando estamos assistindo TV por exemplo e logo passa os comerciais, entendemos claramente as mensagem contadas em 15 ou 30 segundos, e como isso acontece, num passo de mágica? Não, a resposta para esta questão está em como desenvolver o Assunto. Para isso devemos seguir alguns passos, vamos lá:

1º Passo

Conheça o objetivo.

Conheça o ouvinte.

Conheça a abordagem.

2º Passo

Agora faça a si mesmo as seguintes perguntas:

Do que eu estou falando?

Quem está envolvido?

Onde está?

Quando é?

Por que é?

Como faço isso?

3º Passo

Cheque suas respostas com as seguintes perguntas:

Elas reforçam e/ou explicam meu objetivo?

Elas se relacionam com meu ouvinte?

Elas correspondem à minha abordagem?

Se preencherem os requisitos do terceiro passo, qualquer uma ou todas as suas respostas às seis perguntas ( o que, quem, onde, quando, por que e como ) são candidatas a se transformarem no tema da mensagem de 30 segundos. Você pode empregá-las em qualquer ordem ou combinação.

Vamos mostrar em uma mensagem de 30 segundos.

Um executivo que busca investimentos para a empresa está falando com alguns investidores potenciais. Ele fixa o gancho e fala.

Podem nossas ações dobrar de valor este ano? Acredito que sim e que o farão. Ele continua, então com sua abordagem.

-Estamos em um negócio de rápido crescimento. Em seguida ele explica e reforça e prova abordagem.

O ano passado tornou a comprovar esta verdade, foi o melhor ano da história da empresa, superamos todos os recordes de vendas e lucros. Temos agora um forte mercado em crescimento, espalhando-se por todo o país. Estamos desenvolvendo novas linhas de produção para atender a este mercado. E nossas vendas já começaram a bater recordes, compre agora nossas ações e participe deste crescimento. Foi o que eu fiz e vou continuar fazendo.

Todo planejamento está dotado pelo tema, pelo conteúdo da mensagem. Explica o que se quer dizer, responde à pergunta que fizemos no gancho, descreve o trabalho que queremos ver realizado.

Você pode ter escolhido a abordagem correta para atingir seu objetivo, pode ter captado a atenção do ouvinte com um gancho provocador, mas sua mensagem se perderá a não ser que você conheça o tema e apresente-o com o máximo possível de concisão e vigor.

O tema é a notícia que acompanha uma manchete dramática, a legenda sob uma foto empolgante, o doce numa caixa atraente. O que, quem, onde, quando, por que e como fazem parte de nosso tema. É uma fórmula simples de aprender e assim que passarmos a dominá-la, ela pagará dividendos em cada mensagem de 30 segundos.

Vamos lá pessoal, o negócio e planejar, planejar e planejar.....Um dia Deus planejou e arquitetou a vida e nós estamos “presos” nesse lindo negócio que se chama viver, mas é impossível viver sem planejar.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Abordagem é chave para o sucesso.

Bom pessoal como todos sabem uma boa abordagem é chave para o triunfo. Vocês se lembram da História de Dorothy na terra de Oz? Ela e o cachorro Totó queriam voltar para Kansas, o espantalho queria um cérebro, o homem de lata queria um coração, o Leão covarde queria coragem. Eram esse os seus objetivos. E o mágico de Oz era a única pessoa que podia dar o que desejavam, a pessoa certa que deveriam procurar, o problema que enfrentavam era como chegar à cidade das esmeraldas para conversar com o mágico. Pegaram então o caminho das pedras amarelas. Foi assim que decidiram abordar a cidade.

Vocês devem estar se perguntando, mas porque ele está abordando um assunto desse conto infantil? É que nesse conto podemos ver como desenvolveram uma estratégia e fizeram a abordagem do mágico.

Devemos sempre fazer uma boa abordagem:

A Abordagem correta: Como chegar lá?

A abordagem correta é o pensamento ou sentença específico que melhor poderão conduzi-lo a seus objetivos. Este pensamento ou sentença pode ser denominado como premissa, raiz, ideia, conceito, foco, força impulsionadora, estratégia, estratagema ou tema da mensagem.

A abordagem correta é também a base do prédio, o “X” do problema, o esqueleto do corpo, a melodia que corre através da música. Quando possuímos uma base de conhecimento da situação que estamos vivendo podemos fazer uma analise rápida de 30 segundos e usar uma mensagem de abordagem, uma frase que mais se encaixe.

Mas como descobrir a abordagem correta? Essa dúvida só existe quando não fazemos o primordial, o conhecimento do cliente. Primeiramente é necessário conhecer a si próprio, conhecer a empresa que você trabalha, o mercado que ela atua, analisar o cliente e seu mercado para assim apresentar um plano de negócios que irá atender suas necessidades e expectativas.Conservando em mente o objetivo e o ouvinte, faça a si mesmo as seguintes perguntas e responda-as com frases simples:

Do que eu estou falando?

Qual é a base de minha estratégia?

Qual é o núcleo do que vou dizer?

Qual é a melhor declaração para me conduzir ao que quero?

Será fácil criar uma situação em torno dessa frase?

Que outras declarações vitais posso encaixar dentro da frase ou a ela relacionar?

Esta vinculação de outras declarações servirá aos interesses e necessidade de meu ouvinte?

Se a resposta a duas dessas perguntas for a mesma e estiver diretamente relacionada a seu objetivo e aos interesses e necessidades do ouvinte, você encontrou a abordagem correta.

É ilimitado o número de abordagens potenciais para atingir um objetivo. São tantas quanto sua imaginação possa conceber. Mas assim como devemos ter um único objetivo, um objetivo bem definido, devemos escolher uma abordagem única.

Então, boa estratégia e abordagem a todos vocês.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

(O poder da concentração)

Olá Pessoal, vamos a mais um tema de concentração.

A concentração é uma arma poderosa em vários sentidos. Quando nos concentramos em algo colocamos toda nossa energia no foco que estamos. Forçamos nossa mente a entrar em um ponto de ela abrir e ver o que até então parecia não existir.

Eu sempre costumo dizer que, Quanto mais evidente for uma ideia em sua mente mais certo é fato de ela existir. Isso quer dizer que se nós colocarmos um pensamento em nossa mente e não desviarmos o foco ela trará para a nossa realidade quer uma coisa boa ou má. Se fixarmos uma ideia de que estamos com dificuldade em desempenharmos uma tarefa ou conseguir algo, seja material ou não, isso irá realmente se tornar mais difícil. Analise o quanto você fica irritado, preocupado e principalmente bloqueado quando você se vê nestas situações?

Quando você entra nesta sintonia você atrai tudo o que é negativo para si mesmo, não estou dizendo porque lemos livros de alto ajuda, digo pelo próprio poder emocional que somos conduzidos, ficamos tão irritado que qualquer um que nos diz alguma coisa, nós logo justificamos e colocamos a culpa do nosso fracasso em alguém ou em alguma coisa. Tão certo é o fato da concentração que podemos analisar algumas frases, a de Buda por exemplo: Somos o que pensamos, tudo que somos surge com os nossos pensamentos, e com os nossos pensamentos fazemos o nosso mundo. Há um texto de Salomão na Bíblia que diz: O homem, assim como se imagina em sua alma assim ele é. Eu posso pensar que sou um fracasso como posso pensar que sou um rei. , se meus pensamentos determinam minha forma de viver e estamos descobrindo isso, por que então não tomamos posse do poder da decisão a nosso favor? A questão está exatamente no controle do nosso emocional, uma vez controlado podemos controlar o que quisermos em nossas vidas.

Faça da chave mágica um uso inteligente e unicamente para fins dignos, e ela trará felicidade e sucessos duradouros, é o que todos nós queremos.

Esqueça dos erros do passado, que cometemos isso ou aquilo, falamos isso ou aquilo, esqueça as derrotas e fracassos temporários. Eu disse em outro artigo, afinal qual o líder que não conheceu o fracasso? Não sabe que o que já passou, passou e que o dia de ontem não volta mais? Deixe de viver no passado, você já aprendeu com tudo isso, agora é usar o que já sabe e aplicar aos novos desafios.

Recomece tudo novamente, e se seus esforços anteriores não deram resultados esperados, faça com que os próximos cinco ou dez anos tragam triunfos que satisfaçam às mais altas ambições.

Faça por si mesmo o seu nome e preste um grande serviço ao mundo por meio da ambição, desejos e esforços concentrados.

Eu mesmo já tive várias experiências negativas em minha vida, criadas por mim ou atraídas por mim mesmo. Muitas vezes me olharam como um frágil porque cometia um ato errado ou fracassava em uma tarefa, mas eu nunca me abalei com os ataques ou visões superficiais, fui chamado várias vezes até mesmo de arrogante, eu simplesmente não me sentia um derrotado nem arrogante, mas sim um aprendiz de todas essas experiências, muitas dessas pessoas que disseram isso de mim vieram a reconhecer a minha superação mais tarde, hoje dizem que sou forte e inteligente, mas deixo esses elogios com eles, não deixo isso afetar minha vaidade.

O que quero mostrar é que sempre devemos acreditar em nós mesmo, isso fará de nós um guerreiro, um valente, e não podemos vencer se temos uma concentração negativa ou acharmos que existe uma conspiração contra nós.

Se concentrarmos nossa mente em um objetivo definido ela trará situações, aproximará pessoas e fatos que nos ajudarão a conseguir a atingir nossos alvos. Lembrando sempre que, querer é poder!

Ok pessoal, então a palavra mágica é concentração, e para isso novamente a frase que eu sempre carrego.

Quanto mais evidente for uma ideia em sua mente mais certo é fato de ela existir.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Hereditariedade física e social

Olá amigos vamos discutir essas duas questões e ver o quanto somos donos dos nossos atos ou se somos guiados muitas vezes por impulsos gerados pela hereditariedade.

Esses dois fatores constituem as principais forças que controlam os homens na civilização, na hereditariedade física estão as marcas que carregamos como cor dos olhos, da pele, tipo do corpo o funcionamento dos órgãos vitais e até algumas doenças são reflexos fixos, que não podemos mexer, resultado de anos de transformação evolucionária, mas a parte mais importante do que somos é resultado da hereditariedade social que é adquirida do ambiente em que vivemos e da educação recebida na infância.

A nossa concepção religiosa, econômica, política, social e filosófica e outras questões de natureza semelhante, inclusive a guerra de um país ou a que travamos com alguém é resultado das forças dominadoras da nossa educação e do ambiente que vivemos.

Eu conheço bem essa questão que vou dizer. O Protestante é protestante em virtude da primeira educação que recebeu e o católico é católico pelo mesmo motivo. Digo isso porque cresci em uma família de protestantes e desde criança eu ia a igreja aos domingos querendo ou não, pela minha vontade ou contra. Isso influenciou minha crença e minha personalidade de forma positiva e negativa, explicarei melhor mais abaixo.

Mas o que quero dizer é que a religião que um indivíduo professa é resultado da educação religiosa que vai dos 4 aos 14 anos de idade, salvo algumas exceções, imposta pelos pais ou pelos que dirigem sua vida. É tão certo isso que podemos ver em um texto bíblico o seguinte versículo: Ensina o teu filho no caminho que deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele.

A raiz que carregamos sempre fica forte e dificilmente iremos conseguir quebrar. Vou dar um exemplo meu, fui criado como já disse em uma família de protestante e hoje sou Kardecista, isso para alguns é um choque, mas que no estudo e na essência é a mesma coisa, eu ainda carregado as lembrança da minha crença de infância e costumes dos dogmas da igreja, as vezes me pego rotulando coisas que não tem no Kardecismo e existem nas igrejas prostestantes, consequência da hereditariedade social.

Nas questões positivas foi muito importante eu ter recebido um ensinamento religioso, ele é fundamental para os princípios que destinamos na vida, a questão negativa estava sempre relacionada aos questionamento da doutrina, que sempre era motivo de discordia em alguns pontos e muita polêmica.

As principais crenças de uma pessoa são as que lhe foram impostas ou as que ela absorveu, voluntariamente, sob condições altamente emocionais, num período em que sua mente estava receptiva.

Na hereditariedade social podemos ver o quanto somos influenciados pelos outros, vejam alguns exemplos: Quando estamos em época de copa do mundo o brasileiro é todo patriota, ama seu país, fica alegre e sofre com suas emoções. Agora veja quando é época de eleição. Como se comporta o sentimento do povo Brasileiro? Sempre com desconfiança, porque ensinaram e doutrinaram o povo para isso, o pior de tudo é que passamos de pai para filho, estamos vivendo isso em tudo, no futebol, na igreja, na política e no convívio social.

Os EUA é um exemplo em questões de manipulação social , eles conhecem tão bem essa questão que presenciamos claramente isso, lembram da guerra do Iraque? Sabíamos mais sobre ela do que o povo americano, a imprensa maquiava tudo em favor da América. Vejam o que eles ensinam aos seus jovens, a lutarem por seus ideais, lembram do discurso do Barak Obama? “O EUA é o que é não porque é uma potência mundial, mas sim por seus ideais, Yes We Can!

Então pessoal, vocês já sabem: existem 3 grandes forças organizadas por meio do qual opera a hereditariedade social e são elas: As escolas, as igrejas e a imprensa. Quando essas 3 trabalham juntas elas mudam e fazem histórias em qualquer civilização. Plantam a paz, a guerra, a discórdia e a concórdia.

Fizeram a Alemanha gritar o mundo através de um ótimo orador maligno, cruel, fizeram-nos acreditar que em nosso país só existem políticos corruptos, fizeram nossos jovens sair as ruas com suas caras pintadas e hoje lotam suas igrejas com promessas manipuladoras emocionais, enquanto que deveriam defender a bandeira da união e justiça.

Citei estes exemplos de forma mais ampla, mas quantas vezes não agimos de forma espontânea com uma pessoa de forma negativa e quando passa algum tempo vemos que fizemos algo que não deveríamos? Isso é conseqüência da hereditariedade social, e nós como líderes precisamos estar bem atentos para não cometermos atos indesejáveis.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

(O fracasso é uma oportunidade para recomeçar.)

A palavra fracasso soa sempre negativamente, mas será mesmo que não existe um sentido mais profundo para ela? Vemos como a interpretação desta palavra arrasta milhares, talvez milhões de pessoas, trazendo tristezas e provações, que poderiam ser evitadas se a compreendessem melhor.
O que precisamos entender é a diferença entre "fracasso e "derrota temporária", além disso, vejamos se a derrota temporária não é um "mal que vem para o bem", porque se analisarmos as circunstâncias e a soma dos resultados veremos que sempre há uma lição, ela nos dá um estímulo e energia para agirmos num sentido diferente e mais proveitoso. O que podemos ver é que a maioria das pessoas quando se encontram com o fracasso elas se dão por vencidas, aceitam e acreditam que tudo está acabado, não olham para sua força ou a lição que isso pode trazer, preferem se revoltar, procurar um culpado.
Nossa força está em nossa resistência, se ela é baixa, minha força é pequena. Nenhuma "derrota temporária", nem as adversidades chegam a transformar-se em fracasso para as pessoas que as encara como mestra, que tirarão qualquer lição disso. Na verdade há sempre uma grande lição nos reveses e em cada derrota. E é certo também que não poderíamos receber certas lições senão por meio da derrota. O que complica as vezes algumas pessoas é que muitas vezes as derrotas nos fala por uma "linguagem muda" que não entendemos ou não percebemos. Se isso não fosse verdade não cometeríamos repetidamente os mesmos erros sem lucrar coisa alguma das lições que poderíamos aprender. Muito se diz: persistir no erro é burrice, mas será que as pessoas que persistem no erro não estão "cegas ou "surdas"? Mas muitos dizem, nós estamos alertando, falando, mas não adianta, precisamos ajudar quem quer ser ajudado. Digo que esse pensamento é superficial, pois quem está vivendo precisa sentir as lições que a derrota quer mostrar. Ele precisa entender, ver, pensar no ocorrido para disso tirar um proveito. E se não fosse verdade também, nós observaríamos com mais cuidados os erros dos outros e tiraríamos proveito. Eu disse em outro artigo: Nunca permita que algo te fira sem que atinja seu ego, pois só assim terá forças para se levantar.
Precisamos entender que é necessário tirar proveito de cada derrota, e as pessoas que ficam derrotadas por longos períodos não tomaram conta de sua própria força, se deram por vencidas e se sentem acabadas. Como nada na vida é permanente as derrotas também não são. É preciso reagir, a vida exige ação e para isso use seus estímulos. Um verdadeiro líder nunca se dá por vencido, é um guerreiro que perde uma batalha mas não perde a guerra.
Como disse o profeta Joel: Diga ao fraco, eu sou forte

Um líder e seus soldados.

Um líder deve ter um exército dentro de si mesmo, este deve estar em alerta, pronto para obedecer quando solicitado. Vamos entender um pouco deste exército, daremos um nome a cada soldado, eles se chamarão:
OBJETIVO DEFINIDO, CONFIANÇA EM SIM PRÓPRIO, ECONOMIA, IMAGINAÇÃO, INICIATIVA E LIDERANÇA, ENTUSIASMO, AUTOCONTROLE, FAÇO MAIS QUE MINHA OBRIGAÇÃO, PERSONALIDADE ATRAENTE, PENSAR COM EXATIDÃO, CONCENTRAÇÃO, COOPERAÇÃO, DERROTA, TOLERÂNCIA, REGRA DE OURO.
O Líder precisa aprender a dominar esses quinze soldados e isso requer muito exercício e disciplina. Deve focar-se no esforço organizado, dominado isso seremos capazes de alcançar o que quisermos. Os outros serão incapazes de derrotar os nossos planos. Esses soldados dará o líder poder suficiente para afastar qualquer oposição que possa enfrentar.
Você precisa estudar esses soldados, entender como fazer para lidera-los, fazê-los lutar a seu favor a todo custo. Faça um inventário de si mesmo se for necessário, olhe para dentro de si, como disse o filósofo: conheça-te a ti mesmo, adquira esse poder. Triunfo e poder estão sempre juntos. Não poderemos contar com o triunfo se não tivermos poder e não teremos poder se o não desenvolvemos por meio destes soldados. ( Virtudes e qualidades).
Cada uma destas qualidades e virtudes pode ser comparada ao comandante de um regimento. desenvolva no espírito essas qualidades e terá poder suficiente para triunfar.
Dizem que muitos tem um propósito na vida, mas duas em cada cem pessoas tem um OBJETIVO DEFINIDO. Antes de saber se você tem objetivo definido veja no dicionário o significado destas palavras. Criado um, mostre a seus aliados a importância, faça-os entendê-lo que será importante para todos e verá que seus colaboradores trabalharão sem medir esforços.
Tudo é possível para quem sabe o que deseja e se resolve conquistá-lo. Veja os exemplos dos grandes líderes, como enfrentaram obstáculos e oposições, mas também tiveram suas honras e suas glórias, triunfaram em seus OBJETIVOS DEFINIDOS.
Lembre-se, enquanto assim fizer, de que nenhum desses soldados, isoladamente, pode trazer o triunfo. A deserção de um deles enfraquecerá todo o exército..
Para conseguir poder é preciso ter um OBJETIVO DEFINIDO, é preciso ter CONFIANÇA EM SI MESMO para persistir, é preciso ter INICIATIVA E LIDERANÇA, é preciso ter IMAGINAÇÃO para criar seu próprio objetivo, devemos ter ENTUSIASMO na ação para torná-lo mais interessante, devemos exercitar o AUTOCONTROLE, devemos cultivar o hábito de FAZER MAIS QUE A OBRIGAÇÃO, devemos adquirir uma PERSONALIDADE ATRAENTE, devemos adquirir o hábito da ECONOMIA, devemos adquirir o hábito de PENSAR COM EXATIDÃO, lembrando que a clareza dos pensamentos se baseia em fatos e não sobre informações e boatos, muitas pessoas tem suas vidas baseadas em informações e não em fatos, 80% do que dizem são informações que receberam.
É preciso contrair o hábito da CONCENTRAÇÃO, dando atenção apenas a um trabalho de cada vez. É preciso praticar sempre a COOPERAÇÃO, lucrar sempre com as DERROTAS próprias e alheias, aprender a ser TOLERANTE, e por último devemos a fazer A REGRA DO OURO, fazer o nosso alicerce e tudo o que afete as outras pessoas.
Todo exército eficiente é bem disciplinado, o exército da mente também precisa ser.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

O poder da sugestão e da autossugestão.

A autossugestão é a sugestão que um indivíduo faz a si mesmo, o mundo está repleto de casos de cura através da autossugestão, é a certeza a confiança em nós mesmos.
O que se estende atrás e na frente de nós carece de importância se o comparamos com o que está em nosso interior”.
Ralph Waldo Emerson.
Quero falar principalmente da sugestão neste artigo. A sugestão é o princípio por meio do qual nossas palavras, nossos atos e o nosso estado de espírito influenciam as outras pessoas.
Quando a nossa mente vibra em alta intensidade, sob o estímulo do entusiasmo, a vibração se registra nas mentes dentro de um determinado raio, quando um orador sente que o auditório está en rapport com ele, ele logo reconhece que seu entusiasmo influenciou a mente dos assistidos, a ponto de as mentes vibrarem em harmonia.
Quando um vendedor sente que chegou o momento psicológico de fechar o negócio ele também percebe que seu entusiasmo influenciou a mente do cliente e a põe em harmonia com a sua.
Quando uma pessoa está entusiasmada pelo artigo que vende, serviço que oferece ou pelo discurso que pronuncia, o seu estado de espírito se torna tão claro para todos os que ouvem, pelo tom da sua voz. De qualquer maneira pelo tom que se faz uma declaração, faz toda diferença.
Nunca uma mera combinação de palavra poderá tomar o lugar da crença profunda de uma afirmativa expressada com total entusiasmo. As palavras são apenas sons, a não ser que venham coloridas com o sentimento que nasce do entusiasmo.
Existe uma grande diferença nas palavras que saem da boca mas não do coração, vemos isso ocorrer quando um vendedor vem nos atender com aquela cara de desânimo, queremos ver as palavras explodirem do coração com entusiasmo, na ânsia de bem expressar-se. As palavras dizem uma coisa, mas o tom da voz sugere algo completamente diferente; por conseguinte, não conseguem vender coisa alguma.
O que falamos é fator importante na aplicação da sugestão, mas não um fator tão importante quanto a ação. Nossos atos valerão mais que nossas palavras. Quando queremos influenciar a mente de alguém por meio da sugestão, a mente dessa pessoa deve estar em condições de neutralidade: isto é, deve estar aberta e receptiva ao nosso método de sugestão. É aqui que vemos sempre fracassar alguns vendedores, tentam fazer a venda antes de neutralizar a mente do cliente.
Quando digo que o vendedor precisa neutralizar a mente do cliente em perspectiva, quero dizer que ele deve estar confiante, é preciso estabelecer a confiança. Sabemos também que não existe uma regra estabelecida para neutralizar a mente do cliente, é preciso ter a sensibilidade para perceber o momento certo. A engenhosidade do vendedor precisa suprir o que não poder ser estabelecido.
O entusiasmo é a força vital com que carregamos o nosso corpo e desenvolvemos uma personalidade dinâmica, não apenas uma força de expressão. Sem ele somos como baterias elétricas sem eletricidade.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Um Lider deve vencer seus medos.

Um dos maiores bloqueios para o triunfo de um homem está fundamentado no medo, ele é a principal razão da pobreza, fracasso e misérias que se apresenta sob milhares de formas. O homem que domina seus medos pode triunfar em qualquer empreendimento, sejam quais forem os esforços reunidos para derrota-lo. O desenvolvimento da confiança em si mesmo ou da auto-confiança começa com a eliminação desse " Demônio" que se chama medo, o qual segreda nos ouvidos das pessoas: "Não pode fazer isso. Tens medo de experimentar. Temes a opinião pública. Tens medo de fracassar. tens medo de não possuir habilidade". O Demônio do medo anda esgueirando-se.
Toda pessoa herda a influência de seis medos básicos.
Medo da pobreza.
Medo da velhice
Medo da crítica
Medo de perder o amor de alguém
Medo da doença
Medo da morte.

O medo da pobreza:
É sem dúvida uma das coisas mais horripilantes que presenciamos todos os dia, vemos os assaltos, corrupção, crimes, crimes organizados sendo montados e desmontados pelo fato de as pessoas querem juntar bens ou terem uma segurança que não encontram nos seus semelhantes. Quantas brigas em sociedades privadas, quantos casamentos se fazem e desfazem com base em $, tudo pela "segurança" de não passarem pela dificuldade financeira e terem seus desejos materiais realizados? Não é de se admirar que o medo da pobreza é um dos medos básicos da humanidade, pois encontramos em vários livros leis que são destinadas a proteger os fracos dos fortes. Não há nada que proporcione ao homem mais humilhação e sofrimento que a pobreza.

O medo da velhice:
Esse medo provém principalmente de duas fontes:
1ª A ideia de que a velhice lhe trará pobreza,
2ª E essa é fonte mais comum, origina-se nos ensinamentos sectários, onde se fala no fogo e enxofre do inferno, purgatório e outros espantalhos semelhantes que os homens aprenderam a temer. Medo de ser abandonado ou colocado em casa de abrigo, Aslio.

O medo da crítica:
Podemos ver como as pessoas correm para comprar os lançamentos de carros, roupas...Tentam se enquadrar em algum grupo social para não serem chamadas de
antissocial ou fora de moda. Precisam ter a melhor casa, os filhos estudarem na melhor escola que o do vizinho, serem mais educados, não se expõem com medo de críticas, se não, o que vão falar de mim? Não posso fazer isso, aquilo, ir ali, ou com você....Vemos a maneira como a humanidade se comporta sob a influência do medo da crítica com coisas insignificantes.

Medo de perder o amor de alguém:
Esse medo traz um sentimento e uma sensação tão irreal, quando perdemos alguém temos uma sensação momentânea de que nunca mais vamos encontrar alguém com as mesma características, isso é ilusão temporária. Esse fato se deu pelo homem ter adquirido o medo de que alguém vai roubar a outra pessoa, o marido ou a mulher.
O medo de perder alguém é um dos mais ou talvez o mais lastimável dos seis medos básicos. Porque esses medo pode levar o desequilíbrio e levar o Homem a violentas loucuras. Quase não há mais dúvida de que o ciúmes e formas semelhantes de demência precoce mais ou menos branda, origina-se do medo básico de perder o amor de alguém.

Medo da doença:
Esse medo tem sua origem em grande parte nas mesmas razões da pobreza e da velhice, em saber que podemos a qualquer momento entrar em um estado degradante ou para um mundo pelo qual nada sabemos, ainda mais ouvindo histórias horríveis sobre o outro lado da vida.
O medo de depender totalmente da ajuda de outros, de ficarmos incapazes, o que é muito triste, uma vez que somos muito ativos. A inércia é um tédio.

O medo da morte:
Para muitos esses é o pior dos motivos, principalmente para os estudantes de psicologia, esse medo podemos afirmar seguramente que está ligado diretamente ao
fanatismo religioso. Os pagãos não tem tanto medo da morte como os civilizados, especialmente os que estão ligados sob influência teológica.
Por centenas de milhares de anos os Homens vem se perguntando, de onde viemos e para onde vamos, lógico que cada religião defende seu ponto de vista sendo como a verdade absoluta, mas uma coisa não podemos negar, todas se assemelham nos pontos de vista, talvez porque ninguém realmente sabe. Posso colocar uma opinião PESSOAL, nada é fruto do acaso, sendo assim somos efeito, e como todo efeito tem uma causa, quando partirmos também não ficaremos no acaso.
Vejam um exemplo do real motivo da morte neste conto:
Vinde a minha tenda, abraçai a minha fé, aceitai os meus dogmas e eu vos darei uma passagem que vos levará ao paraíso depois da morte.
Permanecerei fora da minha tenda, diz o mesmo chefe, e ireis diretamente para o inferno onde será atirado no fogo eterno. A verdade é que esse chefe não tem como providenciar esse salvo conduto para atirar você no paraíso nem no fogo do inferno. Essas informações fixa de tal maneira na mente dos indivíduos que cria esse terror do medo da morte.
O fato de o homem não ter as respostas das perguntas de onde viemos e para onde vamos abre um espaço para essas práticas de charlatanismo.

Para que você possa triunfar nesta vida ou nos empreendimentos é preciso vencer seus medos, criar a coragem, lutar como um guerreiro que não teme a morte. Quando vencer seus medo líder, você passará mais coragem aos seus colaboradores.

Pesquise neste blog

Carregando...